Graphic Novel e etc

A semana começou devagar mas hoje foi um dia tenso. Para relaxar aproveitei para dar uma olhadinha na estante, procurar livros que estão na fila e que sejam bons candidatos ao DL 2012.

Estou construindo minha lista pensando em escolher dois livros por mês, mas evitar as leituras muito complexas ou densas pois este ano percebi que emperrei muito quando a leitura era desse tipo, como foi o caso do livro Áfricas (que ainda sigo lendo) e do Dom Quixote (que peguei uma versão clássica em espanhol). Não consegui terminar os livros e acabei me sentindo um tantinho frustrada por isso.

Então, levando isso em conta vou buscar algo mais tranquilo para que eu me permita voltar a ter um bom ritmo de leitura e daí sim, botar pra quebrar! Aí, nesse causo é que tive a idéia de repetir alguns títulos não lidos para este ano mas que se encaixam nas categorias do próximo, afinal quero diminuir a lista de espera da estante! Portanto, vou arriscar!

Mas meu povo, procrastinar é terrível, não? Dei toda essa volta pra dizer que estou saltitante com a categoria de outubro GRAPHIC NOVEL! Amo, amo e amo! Como já disse aqui no blog, desde pequena eu amo quadrinhos e com o tempo descobri esse estilo que me cativou de vez.

Depois de viver na Espanha a coisa aumentou e hoje eu sinto que se pudesse, gastaria horrores só em novela gráfica. 

O mercado brasileiro ainda é muito restrito e acho que se a gente tivesse mais parceria coisas muito bacanas chegariam às livrarias e em português. Mas temos que pressionar, né gente! Então, para os amantes do gênero fica o recado e para os interessados também: Vamos movimentar o mercado e expandir as possibilidades para além das feiras de cómics!!!

Como vi lá no blog do Desafio Literário 2012 um post para ajudar a galera a escolher suas novelas gráficas achei que seria legal dar outra ajudinha por aqui para quem quiser. Então listei os títulos que eu mais amei ler e outros que seguem impacientes na longa fila de espera. 

Aí vai:

Falei que amava, né? A lista é um pouco longa, mas ainda tem muito mais! Espero que tenham gostado.

Desafio Literário 2012

Mesmo depois de ver meu baixo rendimento no DL 2011 quero continuar ano que vem e tentar o Desafio Literário mais uma vez!

Já coloquei na cabeça que a leitura não é forçada, que a lista é pra ser leve e possível. E mesmo se não der pra alcançar a meta total não vai haver perda em participar, afinal quem perde com a leitura?

Então é isso. Para quem não conhece o desafio passa pelo blog http://desafioliterariobyrg.blogspot.com/2011/11/dl-2012-inscreva-se.html

Minha lista tá em andamento. Logo falo mais do assunto.

Bjocas e boa semana pra todo mundo 😉

Dia de chuva

Eu amo dias cinzentos, e quando estou em casa ter aquele dia chuvoso inteirinho pra fazer nada, admirar as gotinhas que caem e desfrutar de boa companhia…aiii é bom demais.

Desde sexta-feira aqui no estado tem chovido sem parar e hoje foi assim o dia inteiro, li-te-ral-men-te! Daqui de casa eu fico apreciando o barulho da água caindo, e até já tirei umas fotos, mas nada muito estético. Aproveitei o momento, fiz um bolinho de cenoura que acaba de assar e daqui a pouco acordo maridão pra gente curtir um cafezinho gostoso juntos.

Sei que muita chuva assim traz problemas para aqueles que vivem em condições precárias, e acredite: convivo com isso de perto no meu trabalho e me preocupo. Mas isso não faz com que mude os meus gostos, o meu sentimento bom de sentir a chuva.

Ai, de verdade que estava precisando de dias assim, de descanso, de ficar quietinha, organizar coisas aqui dentro, preparar-me para umas mudanças que podem acontecer daqui a pouco.

O sol é bem vindo, sim. Mas cada coisa tem o seu tempo, e eu amo aproveitar esses dias assim…reflexivos, quietos, silenciosos! Viva este belo domingo chuvoso!

Trilha sonora do dia

 

Passeio de Trem

Não sei se vocês sabem, mas no Brasil existe apenas uma estrada de ferro que realiza diariamente o transporte de passageiros entre Estados. Esse trajeto conecta o Espírito Santo a Minas Gerais. É a chamada Estrada de Ferro Vitória a Minas, da empresa Vale. Pra mim é uma das viagens mais maneiras para se fazer, especialmente quando a gente está a fim de curtir o tempo do percurso. 

Tenho memória de haver feito esta viagem da minha cidade natal até Cariacica (que é o ponto final do ES) muitas vezes na vida. Quando era criança adorava poder andar pelos vagões e espiar a varanda, junto com minha mãe. Depois andava de trem para os trabalhos pontuais que fazia noutro município, pois é muito mais barato que viajar de ônibus. E agora voltei a andar de trem, porque moro perto, porque a estrada tem vistas bucólicas lindas e tem sido bem mais rápido que ir de ônibus (o tráfego é um horror, né galera?). Ah, e o precinho…é super em conta!

Conheci outro trajeto de trem há anos atrás quando fiz uma viagem ao Paraná. Lembro que fizemos um passeio turístico de trem que ligava Curitiba a Paranaguá, no litoral. É super emocionante também, mas este é um passeio turístico e neste caso a ferrovia não funciona como meio de transporte à população.

Enfim, essa coisa toda para contar que fim de semana retrasado eu fui com meu amor visitar minha família e aproveitamos para voltar de trem. Aproveitei a ocasião para tirar fotos e poder mostrar aqui para vocês também.

Como era de tardinha a gente acompanhou o horário mágico do pôr do sol e foi melhor ainda. Mesmo que a câmera e a fotógrafa não seja muito boa, vou compartilhar algumas fotos desta viagem bacana, vendo paisagens lindas, comunidades ao longo do caminho, conversando com o amore, pensando na vida, e claro: me sujando horrores com o pó de minério. Porque não tem jeito meu povo, a gente sai brilhando!!!

Espero que gostem 😉

La máquina del tiempo, de Herbert George Wells.

Todos sabemos que estou super atrasada com meu DL 2011 e não conseguirei atingir meu objetivo total, mas fico feliz de não ter desistido por completo.

Hoje trago a resenha curtinha do livro La máquina del tiempo, da edição de 1995 da Editora Anaya, em espanhol.

Esta foi uma leitura que me surpreendeu um bocado. Desde criança amo ler sobre histórias de viagem no tempo, e a sensação que eu tive ao escolher o livro é que esta seria uma super aventura. Mas o livro de Wells é um pouco mais “profundo” do que eu imaginei. 

Basicamente a história é uma narrativa de um “viajante do tempo” sobre uma experiência que ele afirma ser real e que o leva a vislumbrar épocas futuras nas quais ele se depara com uma humanidade “estranhamente evoluída”. Segundo seus relatos aos companheiros, sua aventura o levou a conhecer a uma humanidade mais sensível, sem tantas necessidades primárias mas com uma débil formação social. O viajante descobriu ainda a segregação de uma outra parte da humanidade, mais violenta, primitiva como os humanos atuais e deformada pela exclusão.

É uma obra maestra, sem dúvida. Achei bacana o tom político de muitas passagens, a simpatia declarada do autor pelo comunismo e uma forma mais justa de viver em comunidade.

A máquina do tempo não foi uma leitura que fluiu facilmente, mas da qual fui gostando pouco a pouco lá pela metade do livro. Acho que eu esperava algo mais fantástico e foi legal descobrir a crítica social nesta obra de ficção científica.