Visca Barcelona

Estava pensando cá com os meus botões se já tinha escrito tudo o que um dia pensei em colocar aqui no blog sobre a experiência na querida cidade de Barcelona. Daí que me dei conta que existem pela blogosfera muitos posts sobre a cidade, com fotos incríveis e dicas bem interessantes. Mas, o olhar de cada um é o que no final das contas faz a diferença, não é mesmo?

Pois bem, resolvi selecionar algumas coisas que eu gostava muito de fazer por lá, e assim somar impressões sobre esse lugar tão maravilhoso que tive a oportunidade de viver. Não farei muitos comentários, apenas sobre os locais que acredito não serem já tão conhecidos. Deixarei os links mais interessantes que encontrar. Vamos lá!

Para visitar:

La Sagrada Familia

la-sagrada-familia

La catedral de Barcelona e todo o centro antigo da cidade que está ao redor da igreja. A foto tá sem graça, mas é que eu adorava ver a lua que saía por trás da torre.

PQAAAL958-NJ6oyQ_tdy9hxMyNOGZn8cgiTQMK0mnBltumKx9o3ACnMN4GuU3Tz5F_DBR5h5Ny_tWgWr_wzI8qCB9NIAm1T1UBf4wsaI_8yOE92o6cj5uk5a3moS

El Park Güell

IMAG3772

La Pedrera, que inclusive tem dias de desconto para entrada.

PQAAANyRD0HaFi1Ur9YFl7ELhE6qiaUaJblYaUG_aon4t006pg6u046Yv778say0Ay7UEydREo1mY3od1arKHjon9PYAm1T1ULtFqtjk91HxStMYXrmFPl24Pelr

Montjüic. Meu paraíso à parte em Barcelona. Era pra lá que eu ia quando queria ficar quieta e pensar. E também quando era verão e tinha várias atrações festivas. Simplesmente não tenho palavras pra descrever. São as fontes mágicas, o monte, o museu, o parque, a vista…visite!

PQAAAFOtOF0K3HC2VbiyY8MIYkchyTEyx3AU_QXclmambHT8JdXKHnafFJtJ0E9808Kxhl1OcYtw3StDMaSJARCPCOcAm1T1UEs5OgEOUtFklxRjjfzlO8-FXfm-

El Aquarium de Barcelona. Eu nunca tinha visitado um aquário, então foi interessante. Mas dizem que há melhores. Ainda assim vale o passeio.

Barcelona-Aquarium

Museus:

Museu Picasso

Museu Fundação Joan Miró

El CCCB

El Caixa Forum

El MACBA

Bairros e lugares para comer:

El Born e seus restaurantes e cafés. Volto a recomendar La Pizza del Born dos argentinos descolados. Sempre frequentei e tenho muitas saudades.

El Raval e suas ruelas e barzinhos. Esse foi um dos bairros que mais frequentei durante meu tempo em Barna. Seja pelo ar de mistura, de excentricidade, mesmo com todos dizendo que é perigoso e coisa e tal, lembra que você mora no Brasil e que a noção de perido por lá ainda é bem diferente. Assistia a muitos jogos do Barcelona por lá e sempre foi muito tranquilo. Vale a dica.

Grácia é uma gracinha e uma delícia. Além das ruas e dos barzinhos e cafés que você vai encontrar andando por lá, recomendo caso tenha tempo de ir ao Cine Verdi, ao Teatre Neu, que além de peças de teatro tem um bar super aconchegante e alternativo. Um cantinho que adorava ir também é o Shhh…no se lo digas a nadie

neu2

Voltando lá no centro antigo, um lugar de sempre comia era no Habana Vieja, restaurante cubano de uma senhora muito simpática. Já no Passeig de Gràcia um restaurante que gostei foi o Ququ. Comi uns profiteroles divinos por lá.

DSC06081

DSC06191

Outros lugares e coisas que valem a pena ver:

El Camp Nou, claro! Porque é bom demais ver esse time jogar, e porque dá pra comprar uma porção de souvenirs na lojinha.

Para os amantes da Lomography, a lojinha em Barna é linda também. Vale a visita. Lomo Barcelona.

El Parque del Laberinto também é uma delícia pra quem tiver um pouco mais de tempo. Fica num bairro mais retirado, perto do Campus de Psicologia, Comunicação e Serviço Social da UB, em Vall d’Hebron. O metrô mais próximo é o da linha verde com parada em Mundet. 

PQAAAMoWM6W1FfT-9NjvvH0o8rKpsjleJweV8aeStmRffbXJkJi0y2vOUXEfig2lzLy8PrOVCpu65Y8itVUBR7UAgmMAm1T1UGkSQCBuOqEC2CxcUwK4Z5iwJZOQ

Para finalizar esse post gigante, tem ainda o Parque de Tibidabo, com igreja e tudo. É um dos pontos mais altos da cidade e de lá de cima dá pra ver tuuudo. Foi um dos primeiros lugares que visitei e me diverti muito. Vale a pena ir de Ferrocarril pra deixar a subida mais legal. 

DSCF0166

DSCF0211

Tem ainda muitos detalhes e lugarzinhos, mas vou somar para um próximo post. Espero que seja de ajuda e que tenham gostado. 

Reminescências

Domingo, dia começou com um sol forte lá fora e eu na cama chateada porque não consegui dormir direito – dor de garganta, again! Depois de um banho quase gelado, um bom café da manhã e vitamina C na veia, fui arrumar umas coisas da casa e depois fiquei olhando imagens na internet. Foi aí que me veio uma vontade de escutar músicas em espanhol e lá fui eu buscar no Youtube os cantores e cantoras amados. Início de um processo gostoso de lembranças de todos os tipos da época em que vivi em Barcelona.  Tudo bem que se alguém lê esse blog vai acabar percebendo que vira e mexe essa cidade é homenageada por aqui. Claro que não é à toa, né gente? Eu amo mesmo Barcelona. E hoje revivi através das lembranças dos lugares, dos cheiros, das cores, uma porção de histórias super especiais vividas naquele lugar, que pra sempre vai ficar marcado como a melhor loucura já experimentada até hoje. 

Depois de tanto perrengue para conseguir chegar até lá, os 3 anos foram de muita vida e muitos causos pra contar. Mas hoje minha dor de garganta tá me deixando pouco inspirada pra escrever. Então vou deixar algumas imagens que representam muito desse tempo que não volta mais e que foi eterno enquanto durou. Piegas? Na boa, não to nem aí. É o que sinto, #prontofalei#

Cervejinha com a galera depois da aula do Máster da UB. No Teatre Neu
Ida de trem à Sitges. Brasileiro gosta mesmo de praia!
Show do Jarabe de Palo em Badalona

Vista de Montjuïc. Um dos meus lugares favoritos!
Cores del Born
Park Güell
Vista de Tibidabo
Pizza dos Argentinos no Born
Fim de tarde na Barceloneta

Tenho mais uma porção de fotos que gostaria de colocar aqui, mas vou aprender primeiro a criar um painel porque senão vocês vão enjoar de rolar esse post.

É isso, domingo de reminescências felizes de um tempo querido que passei em Barcelona. Saudade dos amigos, dos risos e dos perrengues. Feliz por ter vivido tudo isso.

E vocês, que lembranças gostosas tem para compartilhar? 😉

Estudar na Espanha -Parte 2

Quero começar dizendo o seguinte: Gente, fico muito feliz em receber os comentários de vocês no blog, e isso me incentiva a escrever mais! Obrigada pessoal, de verdade!

Hoje  voltarei ao tema “Estudar na Espanha” e quero falar um pouco sobre como foi o processo de retirada do visto e compra de passagem.

Bom, depois do resultado positivo e do passaporte em mãos, tive que reunir toda a documentação para dar entrada no visto de estudante lá no Consulado da Espanha  que, no meu caso, foi o escritório que está localizado no Rio de Janeiro.

Gente, para quem vai estudar e que não tem a tão sonhada dupla cidadania (de algum país europeu) prepare-se para a enxurrada de burocracia que inclusive aumentou bastante desde quando eu fui. 

Alguns documentos muito importantes para dar entrada neste tipo de visto são:

1. Formulário de solicitação do visto de estudante (Visto Schengen), que está normalmente disponibilizado na internet;

2. Passaporte com vigência mínima de 1 ano a partir da data de solicitação do visto;

3. Certificado médico. Neste caso eu fui no Hospital Espanhol no Rio de Janeiro, mas acredito que pode ser feito em outras instituições de saúde;

4. Certificado de Antecedentes Criminais, que é solicitado e retirado nas agências da Polícia Federal dos Estados;

5. Comprovante de meios econômicos – eis aqui uma questão: no caso de estudante, normalmente isto fica a cargo de um responsável que precisa assinar um termo, que eu fiz no cartório da cidade e minha mãe assinou como responsável, mesmo que a manutenção da estadia fosse por minha conta;

6. A carta de aceitação que você recebe do centro de estudos estrangeiros precisa ir junto da documentação para o Consulado;

7. Diploma e histórico escolar com a firma devidamente reconhecida em cartório. E para quem tem vontade de futuramente homologar o título para atuar na área no país para onde vai, precisa de passar por mais mil etapas burocráticas das quais não vou falar hoje, mas a gente pode voltar nisso;

8. Seguro de saúde internacional. O meu eu fiz por um ano e depois das mudanças que houveram tive que pagar um seguro de saúde privado lá mesmo da Espanha e outro que cobria inclusive repatriação. Esta é uma parte que ficou muito mais rígida de 2009 pra cá, então fiquem muito atentos;

Depois dessa peregrinação com tanto documento você já está apto a ir ao Consulado, levar toda a documentação e ficar alguns dias que parecem eternos, naquela ansiedade doida pelo deferimento do visto! 

Mas garanto que vale toda a adrenalina e a raiva que a gente costuma passar nos guichês de atendimento. Vale a pena não desistir no meio do caminho. Quando finalmente você obtém o visto de estudante, já pode fazer as malas, ajeitar todas as despedidas e partir feliz e cheio de expectativas para o novo rumo.

Agora, como disse no início do post, ia comentar sobre compra da passagem. Gente, eu comprei a minha desde o momento que fui ao Consulado com a documentação, mesmo sem a certeza do visto, mas já com previsão da data de entrega da decisão deles. Meu visto demorou um monte e por isso cheguei uma semana atrasada para o curso em Barcelona, mas isso tudo se resolveu depois.

Há várias possibilidades para a compra da passagem. O que acho muito importante é que nesta hora não dá pra ter preguiça. É arregaçar as mangas e procurar mesmo. As melhores ofertas, companhias, datas, condições…E não pensar duas vezes em pedir ajuda a alguém que tem mais experiência nisto, que foi o que eu fiz, e deu muito certo. Sempre contei com a ajuda de uma amiga querida que sempre viajava para o exterior a trabalho e que foi imprescindível para esclarecer este tipo de coisa.

Agora, pra finalizar, lembro que para cursos de pouco tempo (3 a 6 meses) o processo é um pouco mais fácil. Compartilhei com vocês a minha experiência para uma estadia de no mínimo 2 anos ( que no meu caso se extendeu a 3). Para qualquer dúvida as páginas da Polícia Federal, do Consulado do país para onde você pretende ir, e blogs de pessoas que compartilham da experiência valem muito a pena serem lidos.

É isso, por hoje. Um beijo grande e bom início de final de semana pra todos nós 😉

 

Estudar na Espanha – Parte 1

Faz algum tempo eu prometi que escreveria sobre a experiência de estudar uma pós na Espanha. Fiquei devendo, mas começo hoje a saldar minha dívida.

Primeiro quero explicar o seguinte: todas as dicas, impressões, afirmações são baseadas na minha experiência e na escuta atenta de outros colegas que passaram por situações semelhantes. Não é uma verdade absoluta e podem discordar se quiserem.

Escolhendo o destino

Há muitos anos eu tinha o sonho de viver imersa numa outra cultura, idioma, costumes…, e este desejo foi crescendo até chegar o momento de realmente efetivar o sonho. 

Agora a questão era saber pra onde? Bem, primeiro pesquisei os cursos que existiam nas universidades públicas de três países europeus (já havia decidido que o destino seria Europa). Portugal, Espanha e França foram as primeiras opções de busca. Logo de cara me deparei com a barreira do idioma francês e isso me fez pensar que se eu quisesse mesmo ir até lá, primeiro teria que enfrentar várias aulas de francês. Mas na minha cabeça, naquela época, eu não teria tempo pra isso! Eliminado destino França. Depois Portugal tinha lá umas facilidades com o idioma, não seria tanto esforço, mas na minha cabeça eu queria algo mais de aventura. Foi então que a Espanha figurou como forte candidata. Ainda confesso que pensei na Irlanda, Inglaterra, mas assumi que era muita areia pro nível de inglês do meu caminhãozinho…

Fazendo contato

Após buscar os programas de mestrado e doutorado que me interessavam, elenquei vários e-mails de professores que poderiam me aceitar como orientanda.

Elaborei uma carta em espanhol, com ajuda de alguns amigos e enviei um turbilhão de mensagens. Confesso que não foi fácil aguardar, porque ansiedade pouca é bobagem, mas foi muito bom quando começaram a vir respostas.

Depois de entrar em contato com dois professores de universidades e cidades diferentes, acompanhei a data de inscrição no site das respectivas faculdades e me inscrevi! É, foi assim mesmo! Avaliei, pensei, fiz contas e me lancei!

Aguardei muitos meses na expectativa, e durante este tempo adiantei mil papéis, inclusive o passaporte. Foi uma etapa maluca, de muita indecisão, mas vivida com incrível paixão.

Passei, e agora?

Quando chegou a resposta do meu “aceite” na Universidade de Barcelona eu quase tive um treco! Foi uma das melhores notícias da minha vida! Estava almoçando no trabalho e fiz aquele escândalo no restaurante! 

Depois fui contar pra família, que não sabia direito o que pensar, afinal, a filha que já morava fora, ia pra mais longe ainda!

Fato consumado de que pelo menos eu havia sido aceita no Programa de Pós da U.B. iniciei os trâmites para o visto de estudante, processo divisor de águas na vida de quem quer estudar fora.

Essas são cenas dos próximos capítulos.

Palau de las Heures - Universitat de Barcelona - Psicologia

Gostou? Quer compartilhar sua experiência dessa fase gostosa? Escreve aí!

Das coisas que ficam

Eu e o mediterrâneo no dia de Iemanjá

 

3 anos muito bem vividos aqui em Barcelona!

Aprendizado, alegrias, algumas frustrações, momentos difíceis e também de muita festa! Amigos, lugares, momentos inesquecíveis, reflexões pessoais que vão ficar para sempre. O convívio em outra cultura sempre enriquece quem verdadeiramente se deixa afetar pelas diferenças, por novas formas de vida.

Como tudo nesta vida tem seu fim, depois de terminar meu máster e decidir não continuar o doutorado por aqui, volto ao Brasil dentro de poucos dias. Levo comigo muita, mais muita coisa boa meeesmo. Tudo o que vivi aqui não troco por nada nesse mundo! Demorei a “ter pernas” para sair do meu país e vir pra cá, mas foi uma das melhores decisões que tomei na vida! Volto mais madura, mais segura de mim, mais aberta ao desconhecido e às diferenças. Volto finalmente com a fluência nesse idioma que tanto admiro que é o español, e caramba meu povo…levo junto comigo a pessoa com quem quero compartilhar muitos anos de minha vida! E que conheci aqui em Barcelona. Olha que bacana! Essa cidade me proporcionou muitas coisas boas…um amor novo, vários ciclos que se fecharam, amigos maravilhosos, pessoas que passaram e que foram muito importantes também. Proporcionou um tempo de tranquilidade, de paz interior (mesmo quando a burocracia que acompanha o “ser estrangeiro” me tirava do sério), um máster e a certeza de que eu posso fazer o que eu quiser da minha vida! É, parece simples e até redundante, mas pra mim foi importante mostrar para mim mesma que sou capaz, que posso fazer o que for, trabalhar no que for, vou dar sempre o meu melhor! E isso é ótimo!

Confesso que tem sido difícil me despedir…dos lugares, das pessoas, dos passeios no fim da tarde com aquele friozinho que eu tanto amo, dos cafés aconchegantes, das bibliotecas por todos os lados da cidade, cada uma mais maravilhosa que a outra! Difícil saber que não vou mais comprar no Paquistanês aqui da esquina, nem no Chino onde vendem mil tranqueiras bara, bara…que não vou mais passar pela Boqueria, nem ver meus programas favoritos da TV sem tanta censura! Ruim saber que vou estar longe das estréias do filmes europeus (especialmente os “de autor”, ou “de culto” como chamam eles). Ai, minha gente…dá uma lista infinita de coisas que ficam e das quais sentirei imensa saudade.

Vejo cada coisa com mais atenção, com mais carinho e fico pensando no quanto isso tudo vai mudar da próxima vez que eu voltar de visita.

Mas sabe, a vida é isso mesmo e fico feliz também porque agora tudo vai tomar outro ritmo e a gente precisava disso! Feliz também porque vou estar com pessoas queridas, vou rever lugares que amo e terei muitas possibilidades que aqui não tenho. Então, tudo certo.

Esse post foi mesmo para exteriorizar esse momento de partida, que é difícil sobretudo  quando se tem tantas boas lembranças e tanta coisa boa num lugar! Vou – como dizem aqui- “con buen sabor de boca”. Sei que vivi o que tinha que viver e amei a experiência. E claro, recomendo! 😉

Passeig Maritim

PS: ainda fico devendo posts mais objetivos sobre vir estudar na Espanha!